Diretor Ivo Moreira  \  Periodicidade Semanal
O retorno de patrocínio a um festival de música com naming sponsor não é proporcional à dimensão do evento mas, antes, à capacidade da marca de reclamar o seu domínio, a sua “ownership”. Esta é a principal conclusão do GfKTrack.Summer Festivals, estudo que se dedica aos Festivais de Verão e às marcas que os patrocinam.
As vagas da investigação levadas a cabo no primeiro trimestre deste ano fazem notar que o patrocínio de um grande evento não corresponde, necessariamente, a um retorno na mesma dimensão, tendência já visível, aliás, em 2011.

De qualquer forma, os Festivais de Música são os eventos/espectáculos culturais a que mais portugueses, com idades compreendidas entre os 15 e os 64 anos, assistem/visitam, correspondendo a 21% dos inquiridos. Estes eventos são apenas ultrapassados por aqueles que se encontram relacionados com o futebol, com 33% dos entrevistados a afluirem aos mesmos.

A maioria dos portugueses inquiridos pela GfK Metris no estudo GfKTrack.Summer Festivals refere, de forma espotânea e correcta, pelo menos um festival de música, o que denuncia o aumento da notoriedade deste tipo de espectáculos.
Ainda no que toca à notoriedade, destacam-se o Rock in Rio, com 89% de notoriedade total, seguido do Super Bock Super Rock, com 59%. O Sudoeste TMN chama a si uma fatia de 57% e o Optimus Alive de 55%. O estudo avança ainda que a associação das marcas ao universo dos festivais tende a centrar-se na posse do naming sponsor do evento. De facto, cinco das seis marcas mais associadas a festivais possuem o seu brand na designação do próprio evento.

A este nível destacam-se os festivais Super Bock Super Rock, Optimus Alive, Delta Tejo e Sumol Summer Fest.

A inexistência do naming sponsor, por sua vez, tende a gerar uma diluição do patrocínio, resultando em associações reduzidas das marcas ao evento patrocinado. Este cenário pode ainda, de acordo com o estudo, conduzir a associações erradas com marcas que nunca estiveram presentes/patrocinaram esses eventos.

Este dado torna-se ainda mais relevante num ano em que os eventos musicais e, particularmente, os festivais de música, apresentam uma contracção na intenção de frequência.
16% dos atuais visitantes de festivais de música vai reduzir a sua presença nestes eventos, contra os 7% que pretende aumentar a frequência. Nesse sentido, a boa associação de uma marca é um ponto fulcral no patrocínio a estes eventos, remata o estudo.
 
Fonte: Marketeer.
Publicado em Festivais
A fabricante da vodka Stolichnaya anunciou uma mudança na marca, em resposta direta à "posição veemente" do seu fundador contra o regime de Putin e por sua vez à invasão russa na Ucrânia.

A conhecida vodka será agora comercializada simplesmente como Stoli, disse a empresa em comunicado.

Yuri Shefler, fundador do Stoli Group, foi exilado daquele país há 20 anos atrás devido à sua oposição a Putin. Embora a Stolichnaya seja comercializada como sendo vodka russa a verdade é a que a sua produção é feita na Letónia desde essa altura e o Stoli Group é uma unidade do SPI Group, com sede no Luxemburgo.

Nos últimos dias diversas lojas dos Estados Unidos removeram das suas prateleiras diversos produtos fabricados na Rússia ou de marca russa - o que na maioria dos casos significa vodka. Há registo de alguns proprietários de estabelecimentos de diversão noturna terem atirado para o lixo a vodka Stolichnaya em protesto.

De acordo com a IWSR Drinks Market Analysis, empresa global que acompanha as vendas de álcool a nível mundial, nos Estados Unidos, menos de 1% da vodka consumida é produzida na Rússia e mais de metade de toda a vodka consumida no mercado interno é fabricada nos EUA.
Publicado em Nightlife
Foi a pensar nos verdadeiros apreciadores de whisky que a marca norte-americana Jack Daniel’s lançou esta semana a sua própria gama de cafés. Chama-se “Jack Daniel’s Tennessee Whiskey Coffee” e foi criada em parceria com a World of Coffee, marca especialista em grãos de café. 
 
O café, segundo a marca, é um premium 100% arábico com torra média, feito com uma infusão de Jack Daniel’s Old No. 7 Tennessee Whiskey. A marca garante que esta não é uma bebida alcoólica e não causa nenhum tipo de embriaguez, pelo que pode ser consumido a qualquer altura do dia.
 
O novo produto pode ser encontrado na loja online da marca e há opções em lata e em embalagem plástica, além da versão sem cafeína.
Publicado em Marcas
quarta, 27 junho 2018 21:52

Carlsberg inventou caviar de cerveja

Sim, estás a ler bem. A marca Carlsberg inventou um novo tipo de caviar, com sabor a cerveja, feito especialmente para o campeonato mundial de futebol que está a decorrer na Rússia.
 
O caviar de cerveja surpreende os seus consumidores, apresentando uma textura igual ao produto tradicional, mas com sabor a cerveja pilsner. Para criar este produto inovador, a Carlsberg uniu-se à agência dinamarquesa CP+B com o objetivo de celebrar as tradições gastronómicas russas.
 
Outro dos objetivos passa por transmitir os valores da moderação de consumo combinado de comida e bebida.
 
Publicado em Marcas

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.